:: Blog da Reeleição .:. LULA 2006 ::: Aos meus solertes detratores

sexta-feira, novembro 17, 2006

Aos meus solertes detratores






Aviso aos meus solertes detratores. A festa de CartaCapital, realizada este ano no dia 6 passado, é evento anual desde 1997. Foi hospedada por seis vezes pela Fiesp, uma pela Federação do Comércio de São Paulo, e duas em belo local chamado Rosa Rosarum. Ligou-me, aliás, no começo desta semana, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, gostaria que a próxima voltasse à Federação paulista. A festa destina-se a celebrar o aniversário da revista que completou 12 anos. E também à premiação das Empresas Mais Admiradas no Brasil, resultado de uma respeitadíssima pesquisa conduzida junto a empresários e executivos, mais de mil, pela Interscience de Paulo Secches. Em total independência, sem o mais leve risco de interferência da redação. O presidente esteve presente, e discursou, nas últimas três edições. Em 2004 foi menos aplaudido que o então governador Geraldo Alckmin. José Serra, Mario Covas, José Alencar já compareceram, entre outras autoridades. Nunca faltaram, por exemplo, 90% do PIB nacional. Do presidente Lula sou amigo há quase 30 anos. Cito, se permitem, parte do meu pronunciamento de boas vindas no evento do dia 6.

“Em relação exatamente à minha vida, não nutro enormes orgulhos, como indivíduo, como cidadão, como jornalista. Mas alguns eu tenho, sim. Por exemplo. Fui o primeiro jornalista brasileiro que escreveu uma reportagem de capa sobre um metalúrgico, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema, Luiz Inácio da Silva, o Lula. E a capa saiu na Istoé que eu dirigia em fevereiro de 1978. Lula surgia naquela capa, de pêlo negro, profundamente negro e de bigode mexicano. Contava eu com a ajuda de um repórter chamado Bernardo Lerer.
(...)

Estas linhas fazem parte de um texto do jornalista Mino Carta em seu blog (http://blogdomino.blig.ig.com.br). Não foi possível resistir a postagem de mais um trabalho do Mino. As visitas a seu blog tornaram-se obrigatórias e necessárias para aqueles que acreditam que ainda existam jornalistas de verdade.

2 Comments:

At 20/11/06 21:33, Anonymous Anônimo said...

Boa tarde. Olha, só nos resta recorrer a Você (Imprensa), que a quem vem de certa forma lutando na busca dos direitos dos brasileiros. Não vou pedir explicações a políticos, até porque alguns não tem interesse em defender os diretos do Povo, Outros são corruptos, outros estão acomodados e outros fazem parte do Governo e não lhes interessa esse assunto. Mas vamos lá ao que interesse e porque só a imprensa pode nos ajudar. A Petrobrás por capacidade nossa (Brasileiros competentes), se tornou uma empresa alto suficiente na exploração de petróleo, ao ponto se ser comparada a algumas empresas da Arábia. Estamos tão bem na capacidade de exploração e produção de gasolina e derivados, que temos condições reais de até exportar petróleo. Agora pergunto: Se nos tornamos alto suficiente, e a Petrobrás se tornou competente e capaz desta alta produção, porque continuamos a pagar um absurdo pela gasolina e derivados de petróleo ? Na América latina e Europa, tem países que não tem esta capacidade se comparada a Petrobrás, e não pratica preços absurdos a nível de mercado interno como a Petrobrás pratica aqui no Brasil. Como contribuinte, brasileiro e em nome de milhões que paga caro por um combustível que tem condições de ser mais barato, solicito a nossa imprensa, que coloque em pauta a questão PORQUE PAGAMOS CARO SE JÁ NOS TORNAMOS ALTO SUFICIENTE ? Na minha modesta opinião, como esta política de preço alta pela gasolina e derivados no mercado interno já é costumeiro , nada mais cômodo para o governo dar continuidade a esta política de preços altos . Acho que os brasileiros precisam saber, e pedimos que se faça uma auditoria para realmente ver a possibilidade de se cobrar um preço justo pela gasolina no Brasil já que nos tornamos alto suficiente. Na verdade o monopólio interno na área de petróleo vem prejudicando os consumidores, e já estar na hora de mudar. Vamos pedir uma auditoria, uma busca real da possibilidade de se praticar preços justos de uma empresa que se tornou alto suficiente em petróleo. Nosso propósito não é comprometer as contas da Petrobrás, mas é buscar a verdade e provar na prática que no mercado interno pode sim ser praticado um preço mais justo Chega de ficar-mos levando sustos dos aumentos de gasolina e derivados. Chega da Petrobrás sempre que precisar melhora suas contas, cobrar do consumidor majorando os preços. Não acho mal algum uma auditoria independe nas contas de custos dos derivados. Já ta na hora de acordar e buscar os direitos de saber. Porque pagar tão caro !!?? Abraços, Wellington Amado.

 
At 21/11/06 02:31, Anonymous Jens said...

Está boa a briga do Mino com o Mainardi (este cada vez mais apelativo e inescupuloso, como comprova a coluna de Veja desta semana, quando se utilizou até da doença do filho para caluniar o diretor de redação de Carta Capital). Muito bom também o material da Jussara publicado aí embaixo.
Um abração.

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home